ZFS

Olá pessoal!

Minha meta de publicar alguma coisa com alguma regularidade já foi para o vinagre… Desta vez estive entretido com meu servidor baseado no FreeNAS.
Resolvi fazer um upgrade de disco e cometi um erro básico, não fiz um scrub antes de começar o procedimento. Teoricamente ele tinha feito o scrub no final de semana e achei que era relativamente recente para não precisar novamente.
De quatro discos, coloquei um offline, troquei e quando liguei novamente com o novo um outro disco simplesmente sumiu.
Um raid zfs de quatro discos pode suportar a ausência de um deles, mas não de dois.
Voltei o disco antigo para o lugar, mas não tem comando que coloque o disco online se o pool do zfs não estiver online e não posso deixar online pois não tenho pelo menos três discos, mas não tenho três discos porque um deles não fica online.
Resumindo, estive em estudo profundo para recuperar meu NAS e por isso não tive tempo de criar algum conteúdo e postar, exceto sobe zfs. Assim que conseguir recuperar meu NAS ou desistir dele eu colocarei alguns detalhes sórdidos de todo o processo.

Trocando o Nome de Usuário ou Nome da Pasta Pessoal

Uma pergunta até comum nas minhas aulas de OS X é como trocar o nome de conta do usuário, que também é o nome da pasta pessoal do usuário.

Existe algumas maneiras de fazer isso e nenhuma delas é fácil e simples como entrar em alguma preferência a mudar.

O nome de conta é usado como identificador do usuário junto com o número do usuário (User ID) e outro identificador chamado de Universal User ID (UUID).

Toda vez que um usuário escreve um arquivo no disco ao salvar ou copiar um arquivo, o sistema registra quem foi que fez isso no arquivo e atribui uma permissão a este arquivo, ou seja, sua identificação está em todos os arquivos que você criou ou copiou para o seu computador.

Trocar o nome do usuário pode envolver ter que trocar o “dono” de vários arquivos, alguns que nem sabemos que existem.

Nas versões mais antigas do Mac OS X trocar o nome de usuário envolvia copiar todos os arquivos do usuário “nomeerrado” para o usuário “nomecerto” usando a conta de usuário “nomecerto”, assim todos os arquivos copiados passariam a pertencer ao “nomecerto” e todos ficavam felizes, mas exigia um grande espaço no disco, dependendo do caso e era demorado.

Outra maneira era usar um comando de terminal que atribuia todos os arquivos do “nomeerrado” para o “nomecerto”. Mas o terminal não é muito amigável e algumas pessoas tem um certo receio de usá-lo e com razão, o terminal não perdoa, missão dada é missão cumprida esteja o comando certo ou errado e não tem “desfazer” (undo).

Nas versões mais recentes de OS X o método ficou mais simples, onde o próprio Mac OS X se encarrega de passar os arquivos para o usuário certo e vou descrever e ilustrar passo a passo.

Vamos dizer que tenho um usuário chamado “nomeerrado” e quero mudar o nome dele para “nomecerto”. Neste momento não faz diferença se ele é usuário Padrão ou Administrador.
Para acompanhar o que vai acontecer criei um documento de texto na mesa deste usuário e pedi a janela de informações do Finder onde podemos ver quem é o dono do arquivo (nomeerrado (Eu))

Nome de Conta e Usuário 01

Primeiro passo é abrir as Preferências do Sistema e selecionar Usuários e Grupos. Não importa se o usuário é Padrão ou Administrador, você vai precisar clicar no cadeado e preencher com um nome e senha de algum usuário administrador.

Uma vez liberado é só clicar no botão “+” no final da lista de usuários e preencher os dados da conta.

Nome de Conta e Usuário 04

Crie um usuário administrador chamado “Temp” e senha “1234”. Este usuário é temporário e vamos apagá-lo no final do procedimento.

Finalize a sessão do usuário “nomeerrado” e entre pelo usuário “Temp”.

Entre novamente nas Preferências do Sistema e em Usuários e Contas.
Clique novamente no cadeado e digite a senha do usuário “Temp”.

Os passos seguintes são críticos, preste atenção no que está fazendo, não aceito reclamações!

Selecione o usuário “nomeerrado” e clique em “-” para apagar o usuário.
Na tela que desce a seguir escolha “Não alterar a pasta pessoal”.

Nome de Conta e Usuário 06

Atenção! A última opção apaga imediatamente os dados do usuário, sem passar pelo lixo e sem chance de retorno. Não diga que não avisei!

Clique no Finder no Dock e digite Command + Shift + C, ou se preferir navegue até a pasta de usuários na raíz do disco.

Nome de Conta e Usuário 07

Mude o nome da pasta “nomeerrado (Apagado)” para “nomecerto”. Você pode precisar digitar a senha do usuário “Temp”. Pode colocar qualquer nome mas não ponha espaço, acento e nem caracteres especiais.

Nome de Conta e Usuário 08

Volte nas Preferências do Sistema e no painel de Usuários e Grupos.

Crie um usuário com o nome de conta exatamente igual ao nome dado na pasta, no meu caso “nomecerto”. Pode ser Padrão ou Administrador, não precisa ser igual ao usuário anterior. Use a mesma senha do usuário anterior para evitar problemas com as Chaves (Keychain) do Mac OS X, depois que estiver com o nome do usuário trocado você poderá trocar a senha.

Nome de Conta e Usuário 09

Quando clicar em “Criar Usuário” verá uma janela perguntando se quer “Usar Pasta Existente” ou “Cancelar”, selecione “Usar Pasta Existente”.

Nome de Conta e Usuário 10

Finalize a sessão do usuário Temp e entre na conta do usuário “nomecerto”.

Nome de Conta e Usuário 10-1

Quase pronto, vamos apenas limpar o que sobrou, que é o usuário “Temp”.
Veja que o documento que foi criado na mesa agora mostra que o dono do arquivo é o usuário “nomecerto”.

Nome de Conta e Usuário 11

Entre novamente nas Preferências do Sistema e em Usuários e Contas.
Clique novamente no cadeado e digite um nome e senha de algum usuário administrador, pode até ser o “Temp”.

Selecione o usuário “Temp” e clique em “-” para apagar o usuário, desta vez escolha a terceira opção, para apagar imediatamente. Como era um usuário temporário não precisamos guardar nenhum arquivo dele.

Nome de Conta e Usuário 13

Feche as Preferências do Sistema e está pronto.

Configuração Inicial do Mountain Lion

Quando o Mac liga pela primeira vez temos um Assistente de Configuração que nos ajuda a preparar o computador para o uso. Como esta é a continuação da instalação e na instalação já havia determinado usar português do Brasil como idioma caímos diretamente na tela abaixo, se preferir configurar seu Mac em outro idioma é só clicar em “Mostrar tudo” e escolher outro idioma.

Não se preocupe com idioma, o Mac permite você escolher trocar de idioma a qualquer momento.

Pasted Graphic 10

Olha que legal, uma bandeira do Brasil!
Não, não é assim que escolhe o desenho de teclas (leiaute) do teclado. Olhe para o seu teclado físico, têm “ç”? Se não tem não é um teclado Brasileiro, alias a Apple não têm, não vende e não conhece um teclado Brasileiro, esta tela é uma pegadinha, escolha o EUA Internacional – PC.
Se trouxe o computador da Europa selecione “Mostrar Tudo” e escolha a bandeira do país em que comprou.

Pasted Graphic 11

Transferir seus arquivos e programas de um Mac para outro sempre foi fácil, com o assistente de ficou ainda mais fácil ainda.

A partir do Lion o assistente também migra seus dados de um Windows SP 3 ou mais atual direto para o seu Mac, basta baixar e executar no Windows o assistente de migração da Apple.
http://support.apple.com/kb/DL1557?viewlocale=en_US&locale=en_US
Mais informações do que é transferido e para onde: http://support.apple.com/kb/HT4796?viewlocale=pt_BR

Caso não tenha outro computador para copiar os dados escolha “Agora não”.

Pasted Graphic 12

A primeira coisa que o assistente oferece é para ativar o Serviço de Localização. Muito útil num computador portátil, meio suspeito num computador de mesa, mas tudo bem, é bom deixar ativado, isso irá permitir o iCloud localizar o seu computador com o recurso “Encontre o Meu Mac”.

Pasted Graphic 13

ID Apple.
A Apple concentrou todo relacionamento de cliente no ID Apple. Para baixar uma música ou vídeo no iTunes, para comprar ou baixar um programa no OS X ou no IOS ou para usar o iCloud ou ainda para fazer compras na loja on-line, entre outras coisas, tudo é feito pelo seu ID Apple.
Dar o seu ID Apple e senha para alguém é como dar o seu cartão de crédito com a senha, portanto muito cuidado com ele.
No caso abaixo é para registrar seu novo computador com a Apple, obter o seu nome que será usado na configuração de usuário e configurar o iCloud, AppStore e iTunes. Se este é o seu computador não há nenhum problema em preencher estes campos, pelo contrário, irá facilitar bastante a configuração do seu novo computador.

Pasted Graphic 14

Mais alguns termos, contratos e condições para ler e aceitar, dependendo do que foi instalado e configurado até agora a lista pode ser maior ou menor.

Pasted Graphic 15

Agora criamos o primeiro usuário. Se tiver preenchido seu ID Apple seu nome já estará preenchido.
Um item a ser comentado aqui é que o “Nome da Conta” é usado como nome da pasta de início e não é fácil trocar depois, não é impossível, mas também não é fácil. Melhor pensar bem e por algo que seja do seu agrado.

Pasted Graphic 16

Onde estamos? Isso irá acertar o relógio do computador.

Pasted Graphic 17

Como não dei nenhum ID Apple na configuração a Apple pede que eu me registre. É opcional.

Pasted Graphic 18

Pronto

Pasted Graphic 19

Terminada a configuração está pronto para usar.

Pasted Graphic 20

Eu recomendo fazer imediatamente os updates de sistema.
Menu da Apple>Atualização de Software.

Pasted Graphic 21

Instalação do OS X Mountain Lion

Algumas pessoas tem dúvidas de como é a instalação do Mac OS X, afinal quando compramos o Mac o sistema já vem instalado e é muito raro que alguém precise reinstalar o OS X.

Para satisfazer a sua curiosidade segue um passo a passo do processo de instalação.

O que temos é um disco completamente apagado chamado de Macintosh HD e um disco de instalação com a imagem do OS X Mountain Lion.
Iniciando o computador ele irá automaticamente identificar o único disco que contém um sistema operacional e irá iniciar por ele.

Boot
Quando ligamos um Mac logo ouvimos o seu toque característico, este toque indica que o teste inicial do computador ocorreu corretamente.
Caso houvesse algum erro você provavelmente ouviria apitos repetidos, dependendo do problema.
Logo depois do teste inicial o Firmware do computador busca um disco com sistema operacional a tela abaixo indica que ele encontrou o Mac OS X. Isso tudo ocorre em frações de segundo.

Pasted Graphic

O Mac encontrou um booter de OS X.
O arquivo de boot do Mac OS X contem outras instruções de inicialização e uma das primeiras é carregar o Kernel, o launchd e as extensões.
O Kernel é o núcleo do sistema, toda interação entre o sistema e a máquina ocorre através dele, o launchd é o controlador que controla quais programas e extensões devem ser carregados, ativados, abertos, fechados etc.
As extensões de Kernel fazem o papel de drivers no OS X, instruindo o Kernel como interagir com os componentes do computador, dos chips internos até impressoras e outros dispositivos externos.
Enquanto o Kernel e o launchd carregam os componentes básicos para o funcionamento do OS X vemos a tela abaixo com a rodinha girando.

Pasted Graphic 1

Inicia o carregamento do Kernel e extensões

Depois dos componentes básicos terem sido carregados o OS X está pronto para o usuário.

Existe algumas posibilidades:

Tela de seleção de idioma – quando iniciamos por um CD, DVD, partição de recuperação ou disco de Instalação.
Instalador – quando o OS X está instalando ele pode reiniciar e voltar ao instalador.
Assistente de configuração – Na primeira vez que o computador liga ele irá ajudar o usuário a fazer as configurações básicas como nome e senha de usuário.
Tela de login – É a tela que vemos com mais freqüência, é o padrão do OS X
Desktop – Se o usuário tiver deixado habilitado o login automático ele não irá ver a tela de login, mas terá passado por ela de qualquer maneira, o OS X não inicia direto no Desktop, por mais que pareça que isso acontece.

Como estamos iniciando pelo Instalador do OS X, temos a tela de seleção de idioma.

Pasted Graphic 2

Não vejo porque escolher alguma coisa diferente de português do Brasil, já que estamos no Brasil e falamos português.
Há quem prefira em inglês, mesmo não sabendo muito bem o idioma. Acho que é o que podemos considerar como uma tendência Hipster no OS X, só falta querer usar um computador bege com Mac OS 8…

Pasted Graphic 3

Iniciando por um disco de instalação podemos escolher algumas atividades que são razoavelmente auto explicativas.
Para o nosso caso cliquei em “Reinstalar OS X” e cliquei no botão “Continuar”.

Pasted Graphic 4

Continuar…

Pasted Graphic 5

Concordar, duas vezes. Aparece uma janela de diálogo confirmando novamente que você concorda ou discorda.

Pasted Graphic 6

Caso tenha mais de um disco que queira instalar o OS X este é o momento de escolher qual vai ser.

Pasted Graphic 7

Começa o processo de instalação, mas não se iluda, neste caso o disco Macintosh HD está completamente apagado e iniciando no OS X Lion o instalador irá criar uma pequena partição de aproximadamente 600MB e instalar um mini OS X com as ferramentas que temos no disco de instalação, depois disso irá copiar alguns arquivos necessários para a instalação e reiniciar, daí sim, começa a instalação mesmo. Esta preparação demora de 5 a 10 minutos e o computador reinicia automaticamente depois.

Reiniciamos e caímos direto no instalador.

Pasted Graphic 8

Lanche, café, qualquer coisa… Não há muito o que fazer por enquanto a instalação realmente demora de 15 minutos a 30 minutos, dependendo da velocidade do computador e dos discos onde ocorre a instalação.

Pasted Graphic 9

Meia hora depois está terminada a instalação e estamos quase prontos para usar o computador.
O próximo passo é fazer a configuração inicial.

Configuração Inicial do Mountain Lion

Automação de conversão de vídeo com marca d’água

Hoje fui atender uma empresa que há um bom tempo usava o Final Cut Pro (FCP) para colocar marca d’água e converter vídeos para tamanhos menores.
Não, eles não editam nada, basicamente pegam um vídeo do YouTube ou de um DVD, quando muito marcavam um IN e um OUT e exportam, eventualmente com uma trilha como marca d’água. Quando soube disso fiquei estarrecido! Nunca salvaram nenhum arquivo de projeto!
Primeiro porque usar uma ferramenta tão complexa e tão cara quanto o FCP quando o iMovie, quem vem de graça, poderia fazer? (Uma opinião sobre o motivo é um bom assunto para um post, aguardem.)
Segundo, o trabalho manual, de por uma trilha extra e acertar a opacidade para parecer uma marca d’água, renderizar (vídeo do YouTube em H.264) e depois exportar novamente em H.264.
Fui apresentado a este workflow insano quando me perguntaram como poderiam salvar em flv ou wmv pelo FCP.
Soluções existem, mas são comerciais, assim como o FCP que não é a melhor ferramenta para isso, muito pelo contrário.
Hoje sei que poderia ter feito um droplet do compressor, mas ainda assim teria que comprar uma licença Pro do flip4mac e o próprio compressor.
Preferi fazer eu mesmo um droplet usando AppleScript para gerar as variáveis e caminhos e jogar tudo em um comando de terminal usando o ffmpeg.
Devo dizer que não sou nenhum mestre de AppleScript e também não domino as milhares de opções do ffmpeg, deu muito trabalho fazer a coisa toda funcionar, mas é uma solução gratuita que automatizou o processo de conversão e aplicação de marca d’água a dois passos:

Colocar todos os vídeos a serem processados em uma pasta
Rodar o programa criado pelo AppleScript

Para a posteridade e se alguém se interessar pelo assunto ou quiser adaptar a alguma outra situação vou documentar aqui o processo todo de criar esta solução.
Para não ser uma documentação que “funciona na minha máquina”, vou criar uma VM com apenas o OS X instalado e fazer o processo passo a passo novamente. Isso vai demorar e vou fazer no meu tempo livre, portanto, aguarde os próximos posts…

Previsão dos próximos post sobre este assunto:

Baixar e compilar o ffmpeg.
Testar as configurações mais adequadas para a sua codificação de vídeo
Criar o script executando um comando shell e vendo se tudo roda bem
Colocando uns passos extras para resolver duplicados e criar pastas se precisar, etc, facilitar a vida do usuário.

Por hoje é só!

Hello world!

Qual poderia ser o primeiro post de um blog de tecnologia que não o famoso “hello world”?
Para falar a verdade algumas coisas me vem a cabeça, como “teste”, “teste123”, “valendo”, “agora vai”, entre outros… (Quem já tentou programar ou criar certas coisas no computador sabe o que eu estou falando)
Tomei vergonha e estou finalmente criando um blog/site. Espero atualizar todos os dias com alguma coisa relacionada a informática ou treinamentos, que são coisas do meu dia a dia de trabalho e expandir com outras opções conforme for interessante.
Como tenho o hábito de ler muitas matérias em inglês todos os dias vou começar escolhendo uma ou mais para traduzir e postar aqui, se tiver envolvido em alguma coisa em especial vocês vão ficar sabendo e para quem gosta, alguns detalhes técnicos que fazem parte da mágica.
Para um primeiro post está bom, ainda tenho que me entender com as opções e configurações do WordPress.

Até!